O hábito de compartilhar demais coloca em perigo sua informação confidencial

21 % dos usuários na América Latina estão propensos a dividirem suas informações com desconhecidos

 

Uma nova pesquisa da Kaspersky Lab traz um panorama dos hábitos de compartilhamento de informações online e revela como os usuários de todo o mundo, incluindo Brasil, Colômbia e México, colocam seus dados confidenciais em perigo, principalmente pela maneira como eles compartilham em seus dispositivos. De acordo com o estudo, as pessoas que compartilham seus dados com outros são mais propensas a correrem riscos em sua vida digital – por exemplo, quase metade dos usuários que dividem seus dados on-line experimentaram a perda de dados em seus smartphones (47%).

Na América Latina, 92% dos usuários compartilham fotos e vídeos de suas viagens, 73% compartilham fotos e vídeos de seus filhos e 30% compartilham senhas, e isso inclui o “Lembrar Senha” – quando o usuário acessa sua conta em determinados sites e aplicativos.

Os riscos são ainda maiores para aqueles que compartilham informações com estranhos, sendo que 59% dos usuários de smartphone admitem que perderam suas informações ao compartilhá-las com estranhos. Na América Latina, 21% dos usuários estão propensos a compartilharem seus dados com desconhecidos.

Entretanto, as chances de perda de dados são comparativamente pequenas entre aqueles que não compartilham suas informações com outras pessoas. O relatório indica que daqueles que não compartilham dados, apenas uma pequena parcela perdeu seus dados – 13% no smartphone, 23% em seu computador e 4% em seu tablet.

“Nossa pesquisa mostra que, quando as pessoas compartilham dados digitalmente, elas são mais propensas a enfrentar problemas nos dispositivos e perder dados, colocando suas vidas digitais em risco”, comentou Andrei Mochola, chefe de negócios de consumo da Kaspersky Lab.

As pessoas que compartilham seus dados mais preciosos digitalmente também relataram uma ampla gama de problemas com seus dispositivos. Nos smartphones, as questões mais comuns incluem anúncios intrusivos (51%, em comparação com 25% dos usuários que não compartilham), problemas de duração da bateria (41%, em comparação com 17% das pessoas que não compartilham), aplicativos que operam em seu dispositivo sem o seu consentimento (19%, em comparação com 6% dos usuários que não compartilham) e infecções de malware (14%, em comparação com 4% das pessoas que não compartilham).

 

Além disso, a pesquisa mostra a mesma correlação para as pessoas que colocam seus dispositivos físicos no cuidado de outros – como dar seus smartphones a outros por um período de tempo, deixando seus dispositivos desbloqueados em um lugar público, dando seus PINs e assim por diante. Esses usuários também são mais propensos a sofrer perda de dados. Por exemplo, mais de metade dos usuários (65%) que compartilharam seu smartphone com outros também sofreram perda de informações em seus smartphones, em comparação com 34% dos que não o fizeram.

Além disso, a pesquisa mostra a mesma correlação para as pessoas que colocam seus dispositivos físicos no cuidado de outros – como dar seus smartphones a outros por um período de tempo, deixando seus dispositivos desbloqueados em um lugar público, dando seus PINs e assim por diante. Esses usuários também são mais propensos a sofrer perda de dados. Por exemplo, mais de metade dos usuários (65%) que compartilharam seu smartphone com outros também sofreram perda de informações em seus smartphones, em comparação com 34% dos que não o fizeram.

“Quando os usuários compartilham seus dispositivos digitais com outros, ou com estranhos totais, o problema piora. Sabemos que é improvável que os usuários parem de compartilhar seus dados mais preciosos com pessoas on-line – esse é um dos privilégios do mundo digital. Mas é por isso que é tão importante que todos estejam conscientes dos potenciais perigos que estão colocando seus dados e dispositivos. Insistimos para que as pessoas escolham uma proteção que se adapte às suas necessidades, seja qual for o ambiente em que se encontram. Esta abordagem identifica ameaças complexas e direcionadas, além de oferecer aos usuários dicas que ajudam a reduzir o potencial dano aos seus dados e dispositivos – deixando as pessoas desfrutarem de tudo o que o mundo on-line tem para oferecer “, acrescentou Mochola.

Para ajudar a proteger sua família e também seus dados, a Kaspersky Lab recomenda o uso do Kaspersky Total Security, uma solução que oferece proteção para PC, Mac, iPhone, iPad e Android. Os recursos como Backup e Criptografia protegem os dados das pessoas contra danos. Além disso, a proteção Antimalware, Software Cleaner e Application Manager garantem que os dispositivos continuem a funcionar na melhor condição possível.

My Precious Data: Stranger Danger é baseado em uma pesquisa on-line realizada pela empresa de pesquisa Toluna com a Kaspersky Lab em janeiro de 2017. A pesquisa avaliou as atitudes de 16.250 usuários de Internet com mais de 16 anos, de 17 países ao redor do mundo.

 

Fonte: https://www.kaspersky.com.br/about/press-releases/2017_kaspersky-lab-the-habit-of-sharing-too-much-compromises-your-confidential-information

Óculos de sol que gera energia.

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia Karlsruhe da Alemanha criaram um par de óculos de sol que geram eletricidade através de células solares. As células solares são orgânicas em vez de silício, são transparentes, flexíveis, leves e podem ser fabricadas em uma variedade de cores e formas. Cada lente de célula solar pesa 6 gramas, tem 1,6 mm de espessura e se encaixa em molduras de óculos de sol, a casa eletrônica, incluindo um microprocessador, dois sensores e dois monitores. As lentes alimentam esses elementos eletrônicos, que medem e exibem a intensidade de iluminação atual e a temperatura ambiente.

 

Cada lente gera 0,2 Watts de energia sob iluminação interior até 500 lux. Isso não é muito poder, mas é suficiente para alimentar um dispositivo, como um aparelho auditivo ou um contador de passos. A tecnologia poderia também ser aplicada às janelas dos edifícios, onde geraria muito mais poder.

Fonte: http://www.technology.org/

Bateria do celular dura pouco? Leia este artigo e descubra como economizar a bateria do seu celular!

Como economizar a bateria do seu celular

 

Você não sabe, mas quando abrimos um programa, mesmo o fechando em seguida ele continua em execução e consumindo sua bateria do celular. No meio do dia sua carga já está pela metade, sendo que seu aparelho nem é tão velho assim. Mas isso é muito fácil e simples de resolver. No exemplo que vou mostrar estou usando um Android Versão 6.0.1, mas a lógica segue a mesma para outras versões. Mãos à obra!

 

Clique no botão “Config” o ícone que tem uma engrenagem.

Como economizar a bateria do seu celular

 

Clique em “Aplicativos”.

Como economizar a bateria do seu celular

 

Clique em “Gerenciador de aplicações”.

Como economizar a bateria do seu celular

 

A próxima tela é a lista de todos os aplicativos que estão instalados no seu Android. Faremos o que chamamos de “Forçar Parada” que nada mais é que finalizar o processo do programa, assim quando não estiver usando determinado aplicativo ele vai ficar “desligado” totalmente não consumindo a energia de sua bateria sem necessidade.  Aconselho a fazer isso somente com os programas que você tem certeza que instalou ou que conhece ou que não sejam programas que o Sistema necessita para rodar. No meu caso escolhi o jogo “100 Doors Challenge para “Forçar a parada”. Dê um clique no programa desejado.

 

 

Como economizar a bateria do seu celular

 

Clique na opção “Forçar Parada”

 

 

Como economizar a bateria do seu celular

 

Clique em “Forçar Interrupção”.

 

Como economizar a bateria do seu celular

 

Note que a opção “Forçar Parada” ficou mais clara. Isso quer dizer que o programa não está mais em execução, mas continua instalado. É como se ele estive “Desligado”. E neste momento parou de consumir recurso no seu aparelho fazendo com que a bateria dure mais tempo. Para que você não receba mais notificações dos aplicativos, o que consome também a bateria,  é preciso desativar esta opção . Clique em “Notificações”.

Como economizar a bateria do seu celular

Em seguida arraste para a esquerda o primeiro botão em azul que se encontra em “Permitir notificações”.

Como economizar a bateria do seu celular

A tela abaixo deverá ser mostrada.

Como economizar a bateria do seu celular

 

Nota: Este procedimento deve ser feito para todos os outros aplicativos instalados em seu aparelho, um por um, seguindo a mesma lógica clicando em “Forçar Parada” depois em “Notificações” e arrastar o botão “Permitir notificações” para esquerda. Espero ter ajudado um pouco. Deixem seus comentários e dúvidas para o próximo tutorial.

Tutorial editor de texto vim

Tutorial editor de texto vim Parte 1

 

Não há como trabalhar com Linux sem usar editores de texto, isto é fato. Existem dois editores principais, vim e nano. Hoje iremos falar especificamente do vim. Não porque seja melhor ou pior, pois vai do gosto de cada um.

Iniciantes têm uma certa dificuldade para entender como é o funcionamento do editor de texto vim e outros dizem que o tal editor é um saco e muito difícil de mexer. Para facilitar faremos uma analogia com um editor de texto do Windows muito conhecido: O Word. Isso mesmo. Vamos usar exemplos do word para facilitar o entendimento do editor padrão do Linux.

Quando usamos o Word o que mais fazemos?

1 – Acessamos o programa – É óbvio, mas nem todo mundo pensa assim quando usam o vim.
2 – Escrevemos textos.
3 – Apagamos texto.
4 – Copiamos e colamos texto.
5 – Recortamos texto e inserimos em outros campos e por aí vai!

Mãos à obra e vamos aprender de vez como usar o editor.

Usando o editor de texto vim

Antes de mais nada é importante saber em qual diretório nos encontramos no momento para facilitar a localização do arquivo futuramente, é claro. Para isso use o comando “pwd” (sem aspas) para saber a sua localização.

Tutorial editor de texto vim Parte 1

No exemplo acima notamos que estamos no diretório “/root” que é onde o arquivo será salvo.

Acessando o programa:

root@ubtdesk:~# vim

A tela a seguir é apresentada:

 

Tutorial editor de texto vim Parte 1

A tela acima nos apresenta informações bem básicas sobre o programa. Mais detalhes serão dados ao decorrer deste tutorial.

Modo inserção e texto

 Temos duas opções para editar no vim: modo de Inserção e modo de Comando. No nosso caso iremos usar o modo de inserção que é acionado pressionando a tecla “i”. É importante lembrar que sempre que o vim for acionado ele estará no modo de comando sendo sempre necessário teclar em “i”. Tecle “i” (sem as aspas), e escreva “Teste usando o vim” (ou qualquer outro texto de sua preferência).

Tutorial editor de texto vim Parte 1

Agora é hora de salvar o arquivo. Podemos salvá-lo de duas formas: acessando antes o diretório onde queremos salvar ou acessando o programa e escolhendo o local depois na hora de salvar. Pense como se estivesse usando o Word. Você abre o programa, escreve o que quiser, depois pede pra salvar e escolhe o local ou pode escolher o local, criar um documento em branco e depois salvá-lo, não é mesmo?

No meu exemplo tenho um subdiretório dentro de “/root” chamado “dir_vim” que está nesse caminho: “/root/dir_vim” mostrado na figura abaixo usando o comando “pwd”.

Tutorial editor de texto vim Parte 1

Como já me encontro no diretório “dir_vim” vou acessar o programa, inserir um texto Teste de edição do vim salvá-lo:

Tutorial editor de texto vim Parte 1

Para salvar, pressione “Esc” para voltar no modo de comando, depois “:w texto.txt”(Sem aspas). Entre  “:w” e “texto.txt” há um espaço em branco. Lembrando que o linux não reconhece extensão de arquivos, mas somente tipos de arquivos, porém inseri a extensão “.txt” por convenção para facilitar nosso exemplo, onde “:w” salva o arquivo e “texto.txt” dá nome ao arquivo.

A outra maneira de salvar é abrir o programa com o comando “vim” e no momento que for salvar, digitar o caminho aonde quer que seja salvo. Iremos salvar no mesmo diretório, porém não vamos acessá-lo primeiramente. Com o comando “pwd” mostro em qual diretório estou para frisar o exemplo novamente.

Tecle “vim“, pressione Enter”“tecle “i”  digite o conteúdo do arquivo como no exemplo “Teste de edição vim” , pressione “Esc” depois “:w” /root/dir_vim/testevim2 e pressione Enter:

A tela abaixo mostra que o arquivo foi salvo no caminho indicado:  ~/dir_vim/testevim2″.

Agora só falta sair do arquivo, porque depois de salvo ainda continuamos acessando ele. Há duas opções:

:wq” e “: x” Essas duas opções têm o mesmo resultado que é Sair e Salvar. Temos também a opção “:q!” que sai sem salvar.

IMPORTANTE: Vale ressaltar sempre fazer backup de algum arquivo de configuração antes de editá-lo, pois caso você cometa algum erro fica difícil reparar.

Bom, este é o fim da primeira parte. Aguardo comentários e sugestões. A segunda parte virá em breve. Obrigado!

Leia também meu artigo sobre Interfência de redes Wifi.