Tutorial editor de texto vim

Tutorial editor de texto vim Parte 1

 

Não há como trabalhar com Linux sem usar editores de texto, isto é fato. Existem dois editores principais, vim e nano. Hoje iremos falar especificamente do vim. Não porque seja melhor ou pior, pois vai do gosto de cada um.

Iniciantes têm uma certa dificuldade para entender como é o funcionamento do editor de texto vim e outros dizem que o tal editor é um saco e muito difícil de mexer. Para facilitar faremos uma analogia com um editor de texto do Windows muito conhecido: O Word. Isso mesmo. Vamos usar exemplos do word para facilitar o entendimento do editor padrão do Linux.

Quando usamos o Word o que mais fazemos?

1 – Acessamos o programa – É óbvio, mas nem todo mundo pensa assim quando usam o vim.
2 – Escrevemos textos.
3 – Apagamos texto.
4 – Copiamos e colamos texto.
5 – Recortamos texto e inserimos em outros campos e por aí vai!

Mãos à obra e vamos aprender de vez como usar o editor.

Usando o editor de texto vim

Antes de mais nada é importante saber em qual diretório nos encontramos no momento para facilitar a localização do arquivo futuramente, é claro. Para isso use o comando “pwd” (sem aspas) para saber a sua localização.

Tutorial editor de texto vim Parte 1

No exemplo acima notamos que estamos no diretório “/root” que é onde o arquivo será salvo.

Acessando o programa:

root@ubtdesk:~# vim

A tela a seguir é apresentada:

 

Tutorial editor de texto vim Parte 1

A tela acima nos apresenta informações bem básicas sobre o programa. Mais detalhes serão dados ao decorrer deste tutorial.

Modo inserção e texto

 Temos duas opções para editar no vim: modo de Inserção e modo de Comando. No nosso caso iremos usar o modo de inserção que é acionado pressionando a tecla “i”. É importante lembrar que sempre que o vim for acionado ele estará no modo de comando sendo sempre necessário teclar em “i”. Tecle “i” (sem as aspas), e escreva “Teste usando o vim” (ou qualquer outro texto de sua preferência).

Tutorial editor de texto vim Parte 1

Agora é hora de salvar o arquivo. Podemos salvá-lo de duas formas: acessando antes o diretório onde queremos salvar ou acessando o programa e escolhendo o local depois na hora de salvar. Pense como se estivesse usando o Word. Você abre o programa, escreve o que quiser, depois pede pra salvar e escolhe o local ou pode escolher o local, criar um documento em branco e depois salvá-lo, não é mesmo?

No meu exemplo tenho um subdiretório dentro de “/root” chamado “dir_vim” que está nesse caminho: “/root/dir_vim” mostrado na figura abaixo usando o comando “pwd”.

Tutorial editor de texto vim Parte 1

Como já me encontro no diretório “dir_vim” vou acessar o programa, inserir um texto Teste de edição do vim salvá-lo:

Tutorial editor de texto vim Parte 1

Para salvar, pressione “Esc” para voltar no modo de comando, depois “:w texto.txt”(Sem aspas). Entre  “:w” e “texto.txt” há um espaço em branco. Lembrando que o linux não reconhece extensão de arquivos, mas somente tipos de arquivos, porém inseri a extensão “.txt” por convenção para facilitar nosso exemplo, onde “:w” salva o arquivo e “texto.txt” dá nome ao arquivo.

A outra maneira de salvar é abrir o programa com o comando “vim” e no momento que for salvar, digitar o caminho aonde quer que seja salvo. Iremos salvar no mesmo diretório, porém não vamos acessá-lo primeiramente. Com o comando “pwd” mostro em qual diretório estou para frisar o exemplo novamente.

Tecle “vim“, pressione Enter”“tecle “i”  digite o conteúdo do arquivo como no exemplo “Teste de edição vim” , pressione “Esc” depois “:w” /root/dir_vim/testevim2 e pressione Enter:

A tela abaixo mostra que o arquivo foi salvo no caminho indicado:  ~/dir_vim/testevim2″.

Agora só falta sair do arquivo, porque depois de salvo ainda continuamos acessando ele. Há duas opções:

:wq” e “: x” Essas duas opções têm o mesmo resultado que é Sair e Salvar. Temos também a opção “:q!” que sai sem salvar.

IMPORTANTE: Vale ressaltar sempre fazer backup de algum arquivo de configuração antes de editá-lo, pois caso você cometa algum erro fica difícil reparar.

Bom, este é o fim da primeira parte. Aguardo comentários e sugestões. A segunda parte virá em breve. Obrigado!

Leia também meu artigo sobre Interfência de redes Wifi.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *